Exemplo de atividade interativa

Muito se fala, se escreve e se discute sobre “atividades interativas” em EAD. Mas pouco se pratica ainda. Na maioria dos eventos didáticos, a interação se resume a exercícios objetivos, do tipo múltipla escolha e similares, e discussões em fóruns. É muito pouco.

Atividades interativas podem e devem ser usadas com mais frequência, tanto para facilitar o alcance dos objetivos quanto para aumentar o interesse do aluno pelo curso.

Um tipo de atividade interativa que apresenta grande facilidade de uso, por não exigir recursos tecnológicos especiais (como os games, por exemplo), é aquele baseado no método de escolhas forçadas. É o tipo de interação que mais vejo em programas de e-learning, principalmente nos EUA.

Vamos ver um exemplo prático desse tipo de interação. Clique neste link “Sobrevivendo no exterior” para ter acesso a um storyboard desenvolvido, há alguns anos atrás, para um curso à distância em negociação (para ambiente corporativo) que foi descontinuado. A intenção não era usar esse material no curso, mas servir como um modelo para os professores desenvolverem seus próprios casos interativos, o que, diga-se de passagem, é uma função bastante interessante dos storyboards a ser considerada pelos DIs.

O arquivo está no formato PPT (formato tradicional de storyboards) com todas as instruções necessárias.

Ao realizar a atividade, espero que você note que ela pode ser transformada facilmente em um game. Afinal, a gamificação está em alta hoje em dia! Por exemplo, se eu colocar um relógio no alto da tela, um marcador de tempo, poderei classificar os alunos com base no tempo que levam para chegar à solução do caso. Se não quiser utilizar um relógio, poderei classificar os alunos com base no número de vezes em que “morrem” antes de chegar à solução. Quantos alunos conseguem “não morrer”? Como se trata de um game, os primeiros colocados poderiam receber algum tipo de prêmio.

Essa atividade também pode ser usada como um recurso auxiliar de diagnóstico. Por exemplo, quantos alunos repetem uma estratégia que não foi bem sucedida, que já os levou à “morte”? Quantos alunos optam, logo de início, por uma estratégia de confronto? Os dados obtidos podem oferecer informações importantes ao professor a respeito do perfil dos alunos logo no início do curso.

Espero que você goste da atividade e deixe seus comentários.

2 Comentários

  1. Christiana

    Muito interessante! Realmente muitas vezes nos ambientes profissional e pessoal temos que avaliar as alternativas de que dispomos e, nem sempre, o que mais gostaríamos de fazer está entre elas…

    Responder
    1. Wagner DestroWagner Destro

      Obrigado pelo feedback, Christiana. Você capturou bem o ponto que esse exercício tenta transmitir: nem sempre as nossas estratégias preferidas estão disponíveis,e, mesmo que estejam, nem sempre são as melhores. Um abraço.

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *