Veja o trailer, assista à apresentação

trailerEste post não é dirigido apenas a quem trabalha com design instrucional, mas a todos os profissionais que costumam fazer apresentações em congressos e seminários, e, especialmente, às empresas que organizam esses tipos de evento.

Se você já participou de um grande congresso em sua área de atuação, deve ter percebido pessoas saindo das salas das sessões alguns minutos depois de iniciada uma apresentação. Os motivos são quase sempre os mesmos. Eis alguns deles:

− A apresentação estava muito chata. Não havia nada de interessante para mim ou para o meu trabalho.

− Esse assunto está muito “batido”. Não tem nada de novo.

− O apresentador está apenas querendo vender os produtos da empresa dele.

− O apresentador tem um tom de voz monocórdio. Eu estava quase dormindo.

Provavelmente essas pessoas leram o programa do congresso, leram o título e a descrição de cada palestra, o currículo (ou “pedigree”) de cada palestrante etc. Mas, como temos visto, congresso após congresso, isso tudo ainda não é suficiente para que as pessoas façam uma melhor escolha das apresentações a que vão assistir.

Vamos convir que, além de desagradável, é contraproducente você passar a maior parte do tempo que dura um congresso tentando descobrir quais apresentações lhe serão mais úteis e lamentando o tempo perdido naquelas que foram totalmente inúteis.

Some-se a isso o pouco ou nenhum retorno que a empresa onde você trabalha vai ter por ter patrocinado a sua ida a esse evento, e terá uma ótima ideia do porque algumas empresas investem tão pouco – ou quase nada – em eventos do tipo congresso, conferência etc.

Agora, a pergunta que não quer calar é: tem solução?

Claro que tem.

E já foi descoberta há muito, muito tempo pelo pessoal do cinema. Chama-se “trailer”.

Como você decide se vai ou não assistir a um filme?

Bom, isso depende, né? Pode ser com base no nome do diretor ou dos protagonistas, pode ser com base na sinopse etc. Mas uma experiência deverá ser mais marcante que todas as outras: assistir a um trailer desse filme! Afinal, como saber se um filme é “bom”, se vai atrair a nossa atenção e interesse, se não experimentarmos um pedacinho dele?

Essa mesma situação acontece quando você vai a uma sorveteria e fica indeciso a respeito de um determinado sabor. Você se pergunta: será que é bom? Geralmente o atendente lhe dá uma pazinha com um pedacinho daquele sorvete para você experimentar e decidir.

Pois algo parecido deveria acontecer quando você decide participar de um congresso, conferência ou seminário. Você deveria ter acesso aos trailers das apresentações, em forma de vídeos, a fim de poder fazer escolhas mais bem informadas.

Acredito que esta proposta de se fazer trailers de apresentações seja uma novidade no nosso mercado, porque, pelo que tenho pesquisado na internet, ela é incipiente até mesmo nos Estados Unidos.

O restante deste post estará baseado em um vídeo muito interessante gravado pela Bianca Woods, do site “The eLearning Guild”, chamado “The Hows and Whys of Session Trailers”. Está disponível no YouTube. Sugiro que você assista a esse vídeo antes de continuar a leitura.

Concordo com a Bianca quando ela diz que o trailer é uma ferramenta bastante eficaz para fazer com que as pessoas se interessem em assistir a um filme. Quando produzido adequadamente, o trailer dá uma ideia muito boa da experiência que você terá ao assistir àquele determinado filme e pode mesmo persuadir você a assistir a um filme que, de outra forma, não assistiria.

Você já pensou em fazer algo parecido para as suas próprias apresentações em congressos, palestras, seminários e eventos similares? Ou pedir aos organizadores desses eventos que produzam um trailer para cada palestra?

É claro que uma descrição ou resumo da sua apresentação permitirá aos participantes conhecer os pontos principais da sua fala, mas um trailer dará a eles uma visão ainda mais impactante. Além disso, os participantes terão, previamente, uma ideia mais clara das suas habilidades de comunicação. Um trailer pode aumentar o interesse e fazer com que mais gente apareça para assistir à sua apresentação. E o que é ainda melhor: as pessoas vão chegar ao ambiente da apresentação (real ou virtual) já bastante interessadas.

Mas como preparar um trailer do qual as pessoas vão gostar e que vai levá-las a se interessar pela sua apresentação?

Dicas práticas

É claro que não há uma fórmula pronta que sempre garanta a produção de bons trailers, mas algumas dicas podem ajudar:

  • Estão disponíveis vários formatos e estratégias para se produzir um trailer em vídeo: animações, cenários, atores, imagens e textos na tela etc, mas a melhor estratégia ainda é gravar a si mesmo, com sua própria voz, apresentando os tópicos da sua palestra;
  • Note que você dispõe de pouquíssimo tempo para capturar a atenção das pessoas: bons trailers devem durar, no mínimo, um minuto e, no máximo, dois minutos;
  • Faça uma rápida introdução ao tema da sua apresentação: não perca tempo dizendo o que faz, onde trabalha, qual o seu cargo e quais os seus títulos acadêmicos (isso tudo já está no programa do evento);
  • Em um trailer, você deve dar às pessoas apenas o mínimo necessário para que elas se interessem pela sua apresentação e compareçam para saber mais. Por exemplo, se, na apresentação, você vai formular perguntas para depois respondê-las, o trailer deve mostrar algumas perguntas, mas não as respostas;
  • Mantenha o foco em sua audiência e defina o “gancho” que vai atrair a atenção para a sua apresentação (neste contexto, “gancho” é aquilo que, na visão das pessoas, vai tornar especial a sua apresentação, algo que seja realmente imperdível);
  • Considere que, em eventos profissionais, as pessoas dão preferência a apresentações cujo conteúdo tem a ver com situações ou problemas do seu universo de trabalho;
  • Dê dicas genéricas de como o conhecimento a ser obtido em sua apresentação poderá ser útil na vida profissional dos participantes;
  • Lembre-se de que o trailer pode ser a primeira e única oportunidade de alguém conhecer você como apresentador, portanto, mostre-se: permita que o participante veja a sua fisionomia e ouça a sua voz!

Dicas de design instrucional

Caso você seja um designer instrucional que deseja preparar um trailer de sua própria apresentação, ou que vai ajudar na preparação de trailers para outros apresentadores de sua empresa, considere estas dicas adicionais:

  • Peça para o apresentador imaginar que a palestra já tenha sido realizada e gravada em vídeo, e que vocês vão “editar” apenas alguns trechos desse vídeo (por exemplo, os melhores momentos) para compor o trailer. Ajude o apresentador a selecionar e a descrever esses trechos. Monte o roteiro do vídeo com base nessa descrição;
  • Reforce a necessidade de manter o foco na audiência. Por exemplo, em um congresso de e-Learning, se o tema do seu apresentador se referir apenas ao mundo corporativo, sem muita relevância para o e-Learning acadêmico, isso deverá ficar claro no trailer;
  • Enfatize que os objetivos da palestra e, portanto, do trailer, devem atender aos interesses e necessidades da audiência, e não aos do próprio palestrante;
  • E o mais importante: insista sempre que o trailer da apresentação deve ser produzido como um trailer “de cinema”, ou seja, deve apresentar trechos da apresentação, e não o autor falando a respeito do conteúdo da apresentação (porque isso já consta do programa do evento)

Custos

Um bom trailer não precisa ser produzido com aparato profissional nem custar muito caro. Não é necessário contratar nem um estúdio nem locutores profissionais. Mesmo um simples vídeo gravado com o uso de um telefone celular pode encantar as pessoas e levá-las a assistir à sua apresentação.

E você ainda pode tirar proveito das tecnologias atualmente disponíveis, muitas delas gratuitas. Um bom exemplo é o “Spark Vídeo”, da Adobe.

Divulgação

Finalmente, mesmo um excelente trailer não vai ajudar a trazer as pessoas para a sua apresentação se elas não souberem que seu vídeo existe, nem como acessá-lo. Verifique, em primeiro lugar, se a instituição que está promovendo a sua apresentação disponibilizou um link de acesso ao seu trailer. Segundo, mesmo que isso tenha sido feito, nada impede que você divulgue o trailer em seu perfil nas redes sociais e, também, o encaminhe, por e-mail, para colegas, amigos e conhecidos.

Exemplos práticos

A organização da DevLearn 2016 Conference & Expo, a ser realizada em novembro de 2016 nos EUA, criou um canal no YouTube no qual os conferencistas podem publicar trailers de suas apresentações. No dia em que acessei, havia 26 trailers disponíveis. Vale a pena assistir a pelo menos alguns deles. Podem ser boas fontes de inspiração!!

Conclusão

A produção de um trailer em vídeo não exige grandes investimentos – nem de tempo nem de dinheiro – mas pode fazer uma diferença crucial a respeito de quantas pessoas virão assistir à sua apresentação e de quantas se manterão interessadas e ficarão até o final.

Qual apresentador não quer isso??

 

4 Comentários

  1. Maria Lina

    Muito bom! Vale a pena observar cuidadosamente o texto e assistir ao vídeo.

    Responder
    1. Wagner G. A. DestroWagner G. A. Destro (Post author)

      Olá, Maria Lina. Obrigado pelo feedback. Realmente, o vídeo da Bianca é muito interessante.

      Responder
  2. Emilio Antonio Leonel Ferreira

    Wagner, excelente dica não só de divulgação do trabalho, mas também do programa Adobe Spark como recurso.
    Grato

    Responder
    1. Wagner G. A. DestroWagner G. A. Destro (Post author)

      Olá, Emilio. Fico feliz por você ter gostado das minhas dicas!

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *